Saiba mais sobre a doença do século, a ansiedade

Saiba mais sobre a doença do século, a ansiedade

O estado de ansiedade normal, nada mais é do que um sinal de alerta, que permite ao indivíduo uma maior atenção sobre um perigo iminente, para assim poder traçar estratégias adequadas para sua defesa. Porém, quando você começa a sentir que a ansiedade está mais frequente na sua vida, causando prejuízos e não permitindo uma preparação para lidar com situações ameaçadoras, pode ser que não seja mais uma ansiedade normal, e sim patológica (estado doentio).

Caso você não saiba, a ansiedade patológica é considerada a doença do século, afetando um terço da população mundial. O Brasil é um dos países que está liderando o ranking, com um grande número de ansiosos, estima-se que de 10 pessoas brasileiras, 4 sofrem transtorno de ansiedade.
O Transtorno de ansiedade generalizada é um distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva. Apresenta quadros em que há a presença de uma ansiedade acentuada, que desempenha papel fundamental nos processos comportamentais e psíquicos do indivíduo, causando-lhe prejuízos em seu desempenho profissional ou acadêmico e nas relações sociais.

Oque causa o transtorno de ansiedade?

A ansiedade e causada devido a vários fatores, envolvendo aspectos, sociais, biológicos e psicológico. No transtorno de ansiedade generalizada acontece uma diminuição de produção de serotonina, dopamina e norepinefrina (neurotransmissores responsáveis pelo nosso bem-estar e tranquilidade), devido ao estresse do dia a dia e qualidade de vida do indivíduo. Fatores como, trauma na infância, doenças concomitantes, abuso de substâncias e genética (ansiedade hereditária), podem agravar a ansiedade.
Quais os tipos de Transtornos de Ansiedade e seus sintomas?

1 – Transtorno do pânico

Fonte da imagem: http://www.lilianreispsic.com.br/wp-content/uploads/2018/03/sindorme-do-panico-300×200.jpg

Ocorre um desequilíbrio ou alteração neuroquímica no cérebro de alguns neurotransmissores como a serotonina e a noradrenalina. No caso de um ataque de pânico, ocorre uma descarga de adrenalina no organismo, preparando a pessoa para a luta ou fuga sem que haja uma ameaça específica, ou seja, sem que exista uma ameaça real, se caracterizando por um estado agudo e extremo de medo irracional, em um curto período de tempo em que atinge o ápice de extrema ansiedade entre 15 a 20 minutos. A característica principal desse tipo de surto, é o medo exagerado, irracional e difuso. A diversos fatores que podem causar o ataque, porém as causas mais frequentes são, os estresses extremos, perda de uma pessoa próxima, mudanças drásticas e não esperadas na vida, histórico de abuso sexual durante a infância ou alguma experiência traumatizante.

Quando se tem um ataque de pânico o indivíduo pode apresentar sintomas como: medo de perder o controle ou de enlouquecer, tremores, sudorese, sensação de falta de ar ou sufocamento, medo de morrer, sensação de estar fora da realidade, aperto no peito, náusea, tontura e aceleramento cardíaco.

2 – Fobia específica

Fonte da imagem: http://3.bp.blogspot.com/-yqAp8UQlWsA/T-BAcxS79_I/AAAAAAAAA38/5WYlwJtujSs/s320/phobia.jpg

Na fobia específica ocorre o temor da presença ou antecipação de objetos ou situações específicas como, voar, lugar fechado, aranhas, mar, etc. Quando o indivíduo é exposto ao estímulo fóbico (Exemplo: aranha), ele apresenta uma resposta imediata de extrema ansiedade acentuada, a reação do indivíduo se caracteriza muito com o ataque de pânico.
As pessoas que possuem fobia específica, evitam de qualquer forma os estímulos que causam a ansiedade. Mas quando se deparam com o estímulo fóbico ocorre um intenso sofrimento para o indivíduo, devido a esquiva e a antecipação ansiosa.

3 – Fobia Social

Fonte da imagem: https://i.imgur.com/iaonlwg.jpg

Existem pessoas que são mais tímidas que outras, algumas nem se comunicam direito ao conhecer outra pessoa, ou em situações que ela deve se apresentar. É normal sentir-se ansioso e inseguro em situações como encontros sociais, emprego novo, entrevista de emprego, festas ou falar em público. A tendência é que as pessoas vão se familiarizando com as situações, pessoas, locais, e ir se entrosando e fazendo amizades.
Mas quem sofre de fobia social, não consegue se familiarizar com as situações de constante interação com o outro. São pessoas que ficam apavoradas com a ideia de ir a uma festa ou a qualquer outro evento social, pessoas que, de tanto medo que sentem, muitas vezes chegam ao ponto de evitar todo e qualquer tipo de contato social. Acredita-se que a causa desta fobia esteja diretamente ligada a uma complexa interação entre o meio ambiente e genes.

4 – TOC (Transtorno obsessivo compulsivo)

Fonte da imagem: https://2.bp.blogspot.com/-1ZZPSXp5-I0/WX9bGrBdnCI/AAAAAAAAAec/AcTZLtQYmJYNX8W9R0kllqGm1rl-mG3KACLcBGAs/s320/toc.jpg

O TOC se caracteriza pela presença de comportamentos obsessivos e compulsivos. As obsessões são pensamentos desagradáveis que ficam na mente do portador, causando uma tremenda ansiedade, desconforto, tristeza, aflição ou culpa. Fazendo com que o portador tente aliviar e reduzir o desconforto através de compulsões. Como exemplo lavar as mãos de pouco em pouco tempo, rituais de verificação ou organização, contar ou repetir palavras instantaneamente, bater pernas, ranger os dentes, etc.

5 – TAG (Transtorno de ansiedade generalizada)

Fonte da imagem: https://www.sospsicoterapiaroma.it/wp-content/uploads/2016/11/disturbi-ansia.png

Este e o transtorno de ansiedade mais comum de ser encontrado, nele o indivíduo se preocupa antecipadamente e de forma desproporcional, sendo que esta preocupação geralmente está associada a situações que podem nem ser reais. Pessoas que sofrem de TAG estão em constante preocupações que não acabam, passando de um problema para outro e se preocupando excessivamente com eles.

Neste transtorno, também pode se encontrar sintomas físicos, como tensão muscular, inquietação, fadiga, falta de ar, taquicardia, sudorese, tontura, boca, seca, micção frequente, diarreia, dificuldade para dormir, problemas de concentração e irritabilidade.

Tratamento

“O tratamento dos Transtornos de Ansiedade engloba a intervenção medicamentosa e a psicoterapia. Um profissional de saúde mental (psicólogo ou psiquiatra) deverá fazer uma avaliação diagnóstica precisa para definir o tipo de tratamento mais adequado para o paciente”

Fonte do artigo: https://www.megacurioso.com.br
http://plenamente.com.br/artigo.php?FhIdArtigo=193
www.lilianreispsic.com.b
https://www.minhavida.com.br
http://karinabessamundopsi.blogspot.com

Matérias Relacionadas

Comentários

estatisticas